O Diário de Jack, o Estripador

Autora: Shirley Harrison
Editora: Universo dos Livros
Número de Páginas: 504
Ano de Publicação: 2012

download

Fazia muito tempo que não chegava até minhas mãos uma obra de não ficção tão interessante, e que proporcionasse tantos contrastes e questionamentos.

De início achei que seria mais uma obra ilusória sobre este personagem tão famoso, uma tentativa de ganhar a atenção dos leitores e que no final não se chegasse a nenhuma conclusão mais embasada.

Basicamente este livro se torna mais um estudo sobre a figura de Jack o estripador embasado na descoberta de um diário de um homem que assume a autoria dos crimes.

James Maybrick é apresentado como Jack, o estripador (serial killer que apavorou Londres em 1888 – assassinando e estripando pelo menos cinco prostitutas – sem nunca ter tido a verdadeira identidade revelada).

A autora analisa fatos e disponibiliza partes do diário de Maybrick (escritos com sua própria letra e com a respectiva tradução), onde o mesmo confessa a autoria dos crimes.

 

James Maybrick, era um comerciante de algodão que viveu na era Vitoriana e faleceu em 1889. Supõem-se que ele tenha sido assassinado por sua esposa, Florence Maybrick por arsênico. Ela ficou presa por quinze anos.

James assina seu diário dizendo-se ser Jack, o Estripador, nome dado a ele pela mídia, porém durante todo o diário é possível acompanhar o planejamento dos cinco assassinatos acontecidos em 1888, bem como os posteriores comentários referentes a cada um.

Shirley Harrison traz fatos para que seja conclusiva a autenticidade deste diário como as muitas pesquisas feitas, testes científicos para verificar a idade do papel e da tinta utilizadas na escrita até um mapeamento psicológicos sobre James Maybrick, autor do diário para enquadrá-lo no perfil de um serial killer

Tive uma falta de fluidez nesta leitura porque em certos momentos pairou a sensação que faltava algo na narrativa, não se encaixava, e que a autora preencheu lacunas.

Existem muitas especulações sobre a figura de Jack, o Estripador. O cinema produziu várias películas cheias de suposições e pesquisas verídicas sobre o personagem, algumas até satíricas como no filme baseado na obra de Jô Soares – O Xangô de Baker Street que estreou em 2001 supondo que Jack, o Estripador fosse brasileiro.

download (1)

Para se compreender melhor a estrutura do diário de James Maybrick   é necessária a leitura de toda a análise feita pela autora. O diário está à disposição no final do livro e posso dizer que se torna bem macabra a descrição dos detalhes prévios dos crimes e as execuções.

Um livro 5 estrelas sem dúvida!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: