A magia dos subestimados escritores latinos

É indiscutível: os olhos do mundo estão voltados ao hemisfério norte. O coração dos leitores bate mais forte por autores americanos e europeus. Nada mais natural, já que respiramos a cultura americana, inglesa. Elas estão em toda parte e confunde-sem com nosso estilo de vida. São as que mais consumimos. Vem delas a maior parte dos ídolos que temos, filmes que assistimos, músicas que ouvimos, nossas referências em moda e comportamento, os livros que lemos.

A maioria dos apaixonados por livros aprenderam a amar a leitura lendo Harry Potter e afins. E isso é incrível, os Eua e a Europa tem muito a oferecer. Mas, você já experimentou descer o mapa? Prestar atenção nos (ótimós) autores latinos? Já leu histórias sobre a diversa e encantadora América do Sul?
Sim? Não? Seja qual for sua resposta, é sempre bom conhecer mais de nossa casa, nosso cantinho, pensando nisso, preparei uma listinha com um roteiro obrigatório pela literatura do nosso continente! Apertem os cintos e embarquem nessa viagem literária pelas terras do sul!

JORGE AMADO – O rei da Bahia de todos os santos

jorge-postie

Quem mais poderia abrir o post? Ninguém soube descrever com tanta poesia o rosto, a alma, as lágrimas e o riso do brasileiro, as cores, a ginga, crenças,as tantas misérias e a luta sem fim de nosso povo como Jorge Amado. Baiano, comunista, ele protestou contra as gritantes desigualdades do Brasil dedicando a vida a escrever com franqueza e paixão sobre sua Bahia, seu país. Pai de Pedro Bala, Dona Flor, Vadinho, Tieta, Gabriela, Tereza Batista e tantas outras personagens fortes e encantadoras, Jorge tem uma escrita irônica e sensual que não poupa seu leitor, vai a fundo no dia-a-dia duro e colorido do nordestino. Para começar a conhecê-lo, Capitães de areia, Gabriela e Dona Flor e seus dois maridos são indispensáveis.

GABRIEL GARCIA MÁRQUEZGabo e seu mágico realismo

gabo

Ele foi um dos mais importantes escritores do século XX, revelou a América Latina ao mundo de seu próprio e delicioso modo, através de uma prosa para lá de peculiar. Falo de Gabriel Garcia Márquez, o Gabo; filho da Colombia, jornalista, ativista politico, um dos precursores do realismo fantástico. Talvez seja ele o grande criador do estilo e o maior nome da literatura latina, já que Gabo pôs no papel toda a magia do povo sul-americano e espalhou suas histórias que beiram ao inacreditável para os quatro cantos do globo. São histórias permeadas por fantasia que trazem muito da realidade sempre delicada dos latinos. Cem anos de solidão, Memórias de minhas putas tristes e O amor nos tempos do cólera são clássicos do autor para ler, reler e se orgulhar de ter na estante!

ISABEL ALLENDE – A transformadora força feminina

isabel-post1

Nossa literatura também é pautada em mulheres de muita fibra e talento, como Isabel Allende. Não só o amor pelos livros levou essa chilena se aventurar pela escrita e logo se firmar como uma das principais romancistas latinas contemporâneas, mas também um Golpe Militar em seu país. Incentivada por Pablo Neruda, ela iniciou a carreira com A casa dos espírito, seu maior sucesso que mais tarde virou filme com Meryl Streep . Isabel é outra referência no realismo fantástico. Seus livros misturam a surrealidade característica do gênero a um forte apelo político e social. E ela continua na ativa, tendo lançado recentemente no Brasil os juvenis O caderno de Maya e O jogo de Ripper!

MARIO VARGAS LLOSA – A voz do Peru

llosa-post

Mario Vargas Llosa é um homem de mil facetas: escritor, jornalista,crítico literário, intelectual e ainda é bastante engajado na vida política de seu país. Por pouco, muito pouco, não foi presidente do Peru! É encantador como a escrita é para os latinos mais que arte, é libertação, é a oportunidade do tão sub-julgado povo sul-americano ter voz, de escancarar ao mundo sua alma e mazelas. Llosa é enfático em dizer que sua obra luta contra a opressão sofrida pelo peruano. Missão cumprida muitíssimo bem! Mario recebeu vários prêmios, incluindo um Nobel de literatura. Em Guerra no fim do mundo, ele lança seu próprio olhar sobre a Guerra de Canudos. O livro foi dedicado ao brasileiro Euclides da Cunha, criador do clássico Os sertões. Llosa também é o autor de títulos como As travessuras da menina má (é muito amor!), Pantaleão e as visitadoras e Tia Júlia e o Escrivinhador.

MARIO BENEDETTI E JÚLIO CORTAZAR – O lirismo de dois vizinhos

Untitled

A proximidade geográfica entre o uruguaio Mario Benedetti e o argentino Júlio Cortazar é semelhante a qualidade literária dos dois. Ambos são expoentes da literatura latina, tendo a versatilidade como marca: escreveram desde poesia a romances e contos. Benedetti soma mais de oitenta livros lançados e até mesmo foi responsável por roteiros de cinema. Recebeu muitos prêmios e homenagens,  participou de importantes organizações sobre literatura. A trégua é um dos seus trabalhos mais notáveis, um romance sensível que foi das páginas para as telonas. Incrível. Júlio Cortazar é considerado um dos escritores mais inovadores de seu tempo. Ele criou uma nova forma de fazer literatura na América Latina. É comparável a Jorge Luis Borges e Edgar Allan Poe. Sua obra é original e profunda, fugiu de modelos gastos e prontos de escrita. Uma boa escolha é começar a lê-lo com os livros Histórias de Cronópios e Famas e O jogo da amarelinha. 

Fonte: Catavento de Ideias

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: